00

DIAS

00

HORAS

00

MIN

00

S

Não quero ficar de fora!

Inscrições para o ciclo de 2023 encerradas.

Inscrições encerradas para o ciclo de 2023.

Limites saudáveis, de dentro para fora – a Mulher Selvagem mostra o caminho.

 

Clube Resselvagem é um mastermind de reconexão selvagem e uma experiência de estudo vivencial ancorada nas histórias do clássico livro Mulheres que correm com os lobos, de C.P. Estés.

Os encontros online são facilitados por Barbara Nickel e Mariana Bandarra, criadoras do podcast Talvez Seja Isso.

Neste ciclo, nossa jornada inclui seis encontros ao vivo, um por mês, para fortalecer nossa capacidade de nutrir limites mais saudáveis, guiadas pelos ensinamentos das histórias La Mariposa, Sapatinhos vermelhos e Pele de foca.

Sozinha é muito difícil — neste ciclo o Clube Resselvagem traz histórias-bálsamo para curar as feridas da falta e do excesso. Porque uma mulher capaz de reconhecer e estabelecer limites saudáveis é cura não só para si mesma mas para tudo ao seu redor. Vamos juntas?

Clube Resselvagem

Em 2023, vamos mergulhar juntas em três histórias para melhorar nossa relação com os limites

La Mariposa: prazer sem limites

Como está sua relação com o seu próprio corpo no mundo? Você vive se encolhendo, Sente vontade de se esconder? La Mariposa nos ensina que o corpo é uma festa e nos dá ferramentas para ir além da visão limitante que a cultura dominante exerce sobre os corpos das mulheres. Com os pés firmemente plantados no chão, essa história nos conduz de volta ao êxtase e à alegria de simplesmente estar em nosso próprio corpo.

Sapatinhos vermelhos: limites regenerativos

A história dos Sapatinhos vermelhos é um conto popular que nos prepara para encarar de frente uma verdade difícil: quando vivemos muito tempo “enjauladas”, corremos o risco de perder a conexão com a natureza instintiva saudável. Aqui aprendemos a regenerar nossos limites internos e a distinguir o verdadeiro desejo que estamos tentando saciar quando insistimos “nos mesmos erros”.

Pele de foca: limites e generosidade

As tarefas psíquicas mapeadas nesse conto são o antídoto para o clichê da mulher que acostumou a dizer não para si mesma para não precisar dizer não aos outros. Aprender a reconhecer nossos limites nos ensina a não ultrapassá-los, para que possamos comparecer generosamente para nós mesmas e para todas as relações, projetos e causas que demandam nossa atenção.

Quero saber mais!

Veja o calendário completo

(e coloque na agenda!)

Ao se inscrever, você receberá um e-mail com todas as datas. Pertinho da hora de cada sessão, a gente também vai avisar e enviar o link de acesso por e-mail (e por WhatsApp, para quem desejar receber avisos por WhatsApp). Mas a gente recomenda que você já coloque os encontros como compromissos na sua agenda, calendário... Nos encontraremos sempre no Zoom, às 19h30 (horário de Brasília).

E, se não puder participar ao vivo, tudo bem: todos os encontros são gravados e ficam disponíveis até 31/1/24.

8 de maio | Abertura

Apresentações e a força dos limites nas histórias deste ciclo; abertura dos trabalhos coletivos e individuais: o que estamos tecendo juntas? Oráculo das chaves de integração: La Loba, Barba-azul, Vasalisa.

 

5 de junho | Reencontro com as chaves 

Relembrando e integrando tesouros das histórias de parceria para ressignificar o momento atual: Manawee, Mulher-esqueleto, Patinho feio.

 

3 de julho | La Mariposa 

Corporificando a Mulher Selvagem; prazer e poder no corpo; celebrando dons e potencialidades; o amor entre os pés e a terra.

2 de agosto | Sapatinhos vermelhos 

Apetites, autorresponsabilidade e o resgate dos instintos; “feito é melhor que perfeito": o poder de se orgulhar da vida feita à mão; o valor de um final sangrento: o perigo é real; a arte de farejar as armadilhas.

 

25 de setembro | Pele de foca 

O perigo de se perder no amor; conforto na própria pele e a capacidade de "recarregar”; traição e "roubo" como gatilhos para retomar uma iniciação incompleta; a linguagem dos ciclos, a hora certa de ir e voltar.

 

30 de outubro | Encerramento e celebração 

Celebração e troca dos tesouros, integração e fechamento do ciclo em comunidade.

Bônus para as inscritas

Neste ano, nós decidimos oferecer alguns presentes para quem se inscrever. Veja quais são os bônus deste ciclo do Clube Resselvagem.

 

Podcast secreto para todas as inscritas

Todas as pessoas inscritas no Clube Resselvagem ganharão acesso a um podcast secreto, onde a Barbara e a Mariana, voltarão a cada um dos capítulos do livro!

 

Grupinho no WhatsApp

Todas as inscritas ganham acesso à pequenos grupos de WhatsApp, onde enviaremos lembretes e teremos conversas sobre as sessões. O grupinho conta com a facilitação cuidadosa da Diana, uma veterana da nossa comunidade. Você é convidada, mas só entra se quiser.

Leitura oracular para as 20 primeiras inscritas

As 20 primeiras inscritas ganharão uma leitura oracular, em um áudio de até 5 minutos que a Mari vai gravar especialmente para cada uma. A leitura será baseada no "oráculo das chaves" que nós estamos criando com base nos ensinamentos do livro Mulheres que Correm com os Lobos.

 

Sessão extra para as 40 primeiras inscritas

As 40 primeiras inscritas serão convidadas para uma sessão extra! Agendaremos uma sessão de escuta, com bastante espaço para compartilhamentos e trocas a partir das experiências de cada uma.

Quem somos

Juntas, nós duas, Mariana Bandarra e Barbara Nickel, criamos o Planejamento Selvagem (uma metodologia regenerativa de planejar) e o Talvez Seja Isso (o podcast mais selvagem da Web), onde mergulhamos em um estudo profundo e vivencial dos arquétipos e mitos do livro Mulheres que correm com os lobos.

A partir dessa experiência, continuamos sonhando juntas novas criações para servir à nossa comunidade. O Clube Resselvagem atende a um velho desejo nosso de ver este estudo amplificado na prática, através de outras vozes e perspectivas.

Quem somos

Juntas, nós duas, Mariana Bandarra e Barbara Nickel, criamos o Planejamento Selvagem (uma metodologia regenerativa de planejar) e o Talvez Seja Isso (o podcast mais selvagem da Web), onde mergulhamos em um estudo profundo e vivencial dos arquétipos e mitos do livro Mulheres que correm com os lobos.

A partir dessa experiência, continuamos sonhando juntas novas criações para servir à nossa comunidade. O Clube Resselvagem atende a um velho desejo nosso de ver este estudo amplificado na prática, através de outras vozes e perspectivas.

O que o Clube Resselvagem NÃO é

Não somos psicoterapeutas. Trabalhamos com este livro na posição de pesquisadoras, pensadoras, curiosas, praticantes. Para nós é fundamental abrir este espaço com transparência e responsabilidade, por isso queremos deixar claro que o Clube Resselvagem não é um processo terapêutico. Sabemos que qualquer círculo possui o potencial transformador e que a cura de uma é a cura de todas, mas é importante também esclarecer que este não é um círculo de sagrado feminino. Nosso entendimento é o de que tudo é sagrado (e isso inclui o feminino!) mas o escopo deste trabalho não inclui rituais, espiritualidade, deusas, etc.

Ficou alguma dúvida?

Manda pra gente!